Casa dos Contos Eróticos » Porno » Um boquete no escritório

Um boquete no escritório

0 votes

Foda-se meu nome ou qualquer outra informação além dos meus fartos seios, isso é o que importa pra um punheteiro como você e tantos outros. Quando se trata de sexo, eu costumo ser direta no que tenho a fazer, todo boquete deve ser uma garganta profunda, toda porra quente deve ser engolida, ou usada para besuntar meus peitos e minha minha bunda.

E assim acontece quando estou com o cara. Ele trabalha comigo no escritório e sempre percebia seus olhares para meu decote, então antes mesmo que ele dissesse algo, esperei que ele fosse ao banheiro e o segui, ele entrou, então abri os botões de minha blusa social deixando amostra meus seios suspendidos por um sutiã vermelho, do mesmo tom que meu batom.

No momento que ele abriu a porta, eu disse:
-Não tão rápido- enquanto o empurrava de volta para dentro.

Uma boa chupada de rola no escritório

Fechei a porta, o puxei pela gravata e o beijei enquanto deslizava minha mão em seu cacete, que notei ser grande. Parei de beijá-lo e delicadamente comecei a abrir o zíper de sua calça sempre fitando seus olhos para ver sua reação, que era de surpresa e prazer atônitos.

Quando descobri seu pau por completo, me ajoelhei de vagar e comecei a chupá-lo, em seguida, ele abriu meu sutiã e começou a massagear meus peitos.

Primeiro com uma só mão, com leves apertadas, que eu respondia com sua vez gemidos e chupadas mais intensas, em seguida ele começou a usar ambas as mãos, apertando-os para que ficassem juntos e massageando os seus bicos.

Após notar que suas pernas tinham leves tremores percebi que aquela seria a hora de trabalhar pra valer, então o olhei fixamente pela última vez antes da explosão e o engoli por completo, apesar dos cerca de 22 centímetros, ele correspondeu meu gesto empurrando minha cabeça e segurando meus cabelos, até que senti o jato quente e amargo inundar minha boca, que rapidamente se esvaziou com meu apetite por sexo.

Quando o líquido denso acabou de ser despejado, ele me levantou pelos cabelos e se aproximou para me beijar, mas eu o afastei para o lado e disse em seu ouvido:
-Isso foi só uma demonstração, se quiser mais vamos pro meu ap depois.

Ele lambeu os lábios, me olhou e sorriu de maneira maldosa e respondeu:
-Combinado!

Contos de Sexo Relacionados

  • Porno 2 semanas atrás

    Sexo: Rapidinha no cinema

    Olá, tudo bem? Meu nome é Marcelo, estou passando para deixar o meu relato sexual. Nunca imaginei que pudesse passar por uma situação do tipo, mas para tudo na vida existe uma primeira vez. Minha namorada queria...

    LER CONTO
  • Porno 2 anos atrás

    Primeira vez depois q separei

    Após a minha separação muita coisa na minha vida foi embora com o meu ex , eu tinha saído de um relacionamento..... logo eu q sempre chamei a atenção por te 1,57 cm , 55 kg, loira das pernas grossas , até conhecer...

    LER CONTO
  • Putaria 2 anos atrás

    Novinho dotado e minha esposa

    Olá amigos leitores, aqui estou para contar mais uma experiência nossa, eu e minha esposa nós chamamos de forma carinhosa de mô(*) e xuxu(*), então usarei esses apelidos para nós identificar. Eu e a xuxu já...

    LER CONTO
  • Buceta 1 ano atrás

    Sexo com minha gerente

    Boa Noite. Tenha uma namorada, e na época eu já namorava ela. Tenho 25 anos, 1,82 de altura e 85 quilos. Quando eu entrei pra trabalhar nessa empresa a gerente do Rh da empresa já despertou uma coisa muito gostosa em...

    LER CONTO
  • Xvideos 2 anos atrás

    Fodendo com o Marido

    Oi, meu nome é Maria(*), tenho 23 anos, tenho 1,60 de altura, uns 57 kg, cabelos curtos tingidos de loiro, seios pequenos e bumbum mediano. Meu marido tem 21 anos, bem mais alto que eu, magro, cabelos e olhos escuros....

    LER CONTO
  • Buceta 4 meses atrás

    Uma gozada incrível com a coroa peituda

    Ola! Tenho 22 anos, venho contar um caso real. Bom eu comecei a trabalhar em uma repartição pública, no local tinha umas pessoas trabalhando já a bastante tempo, 10, 15 até 20 anos. Era  o caso da coroa  deste...

    LER CONTO

Deixe seu comentário