Casa dos Contos Eróticos » Virgens » A virgem perdeu o cabaço do cuzinho

A virgem perdeu o cabaço do cuzinho

2 votes

Essa história que vou contar aconteceu comigo. Sou um cara que gosta de prazer, conheço as mulheres e não perco tempo, chamo logo pra fazer o mais gostoso, sem perder tempo de ficar saindo pra se conhecer melhor!

Bom, conheci essa moça em uma festa da cidade, antes de conhece-la já tinha pegado umas três e todas eu comi…

Com essa não poderia ser diferente, né? Pelo menos eu não queria que fosse diferente, ela era baixa, cabelos pretos e lisos, era uma falsa magra, embaixo tinha pernas grossas e bunda redondinha, em cima era magra, usava um vestido curtinho, cor prata e uma sandália preta, alta.

Quando a vi fiquei louco, e fui logo falando pra ela:

– Vamos dançar, coisa linda?!

Ela fez um charminho, mas aceitou!

Depois de um tempo xavecando, nos beijamos, o clima tava legal, propício a darmos uma voltinha, então falei:

– Vamos dar uma volta? Pegar um ar fresco lá onde estão os carros, o meu tá lá!

Ela não demostrou que queria ir, então insisti:

– Vamos, você lá não vai fazer nada que não queira, só o que quiser. Rs

Venci pela insistência e fomos!

Chegando lá, joguei ela por cima do meu carro, não iria fazer dentro do carro, botei pressão, agarrei na cintura e dei um beijo que deixou ela sem ar, lambi o pescoço e fui descendo, sentia a respiração dela mais forte, percebi que estava gostando, continuei, fui descendo mais pra baixo e ela disse:

– Ei, vai com calma, tá muito apressadinho…

Eu falei:

– Não tenha medo, quando você mandar parar eu paro, tá tão gostoso, vamos curtir…

Eu estava com o pau duro, na verdade só pensava em meter nela, iria fazer de tudo pra deixa-la excitada e me dar bem gostoso!

Continuamos, quer dizer, continue, pois ela estava parada, só sentindo…

Fui pra o pé dela, comecei a beijar dos pés, fui subindo, cada beijo que eu dava e cada subida ela suspirava mais ainda, mas não mandava eu parar, quando cheguei lá na bucetinha já tava louco de tesão, puxei a calcinha e cai de boca, chupei como nunca tinha chupado nenhuma, era muito saborosa, ela estava suculenta…

Novinha virgem liberou o cuzinho apertado

Percebi que a gostosa abriu as perninhas e parei, foi aí que ela disse:

– Continua, tá foda demais…

E eu olhando aquela carinha de quem estava entregue, dava mais vontade ainda, foi aí que fui com os dedos, mas ela deu um pulo e disse:

– Não enfia nada aí!

Fiquei confuso, eu já tinha colocado a xaninha na boca, chupado, colocado a língua, a intimidade já tava grande, o que mais precisava pra macetar logo?

Então perguntei:

– O que foi? Não pode enfiar nada?

Ela:

– Fiz uma promessa de que me casaria virgem, então estou com vinte e quatro anos e nunca dei a minha perseguida!

Fiquei chocado, aquilo me brochou, uma mulher com aquela idade afirmando que nunca deu e que fez a promessa, já sabia que não ia rolar. Com a cara muito desanimada eu subi, olhei pra ela e chamei pra entrarmos, já que não iria rolar nada!

Ela me olhou fixamente e falou:

– Mas eu sou virgem só da parte da frente, na parte de trás o negócio pega!

Quando ela falou isso meu tesão voltou, meu pau já reagiu, ela que estava dando as cartas, tirou a minha pica pra fora da calça e começou a bombar, a safada sabia o que estava fazendo, eu me rendi, deixei por conta dela.

Quando percebi ela estava de joelhos no chão, aquela boquinha tão angelical estava com minha rola dentro, parecia que estava na buceta, eu estava transando com a boca dela literalmente, me joguei, peguei a cabeça dela segurei e fiz movimentos de vai e vem, eu estava comendo a boca dela, e tava muito gostoso!

Não quis gozar naquela hora, tinha outros planos…

Levantei ela e já fui pra traseira, levantei o vestido, tirei a calcinha e enfiei o dedo no cu dela, nessa hora eu já não via nada na frente, sei que tinha uns casais também pegando fogo por lá, mas nós estávamos chamando mais atenção, pelos gemidos, pela falta de pudor, e era sexo explícito e muito gostoso!

A vadia empinou a bunda e sussurrou:

– Vai devagar, depois que enfiar você capricha! Eu gosto da foda com pegada, mas antes faz ele ficar relaxado!

Aquela voz que deixava o cara louco, voz de piranha quando quer foder…

Eu pedi pra que ela ficasse de quatro, abri a porta do carro e ela colocou as mãos no banco, a bunda redondinha estava empinada esperando os prazeres, eu via na cara dela o tanto que esperava por aquilo e falei:

– Você quer rola no cuzinho?

Ela babando pra ser maceta responde:

– Eu quero, come meu cuzinho, vai!

Comecei a passar a língua, e passar a mão no peito dela, e pra não perder tempo batia uma punheta.

Ela rebolava conforme ia sentindo prazer…

O negócio tava tão bom que ela já estava totalmente nua, nós ali tentando nos esconder por entre os carros, mas sabíamos que mesmo no escuro tinha gente olhando, ouvindo, não podíamos parar, acho que o povo também não queria que a gente parasse, tinha gente transando no nosso ritmo, parecia que éramos atores pornôs!

Virgem gostosa liberou o cú virgem no sexo

Fiz muito oral no cu dela, enfiei os dedos, ela já estava bem relaxada, tinha dilatado bem o buraco, ela não aguentava mais, queria tomar no cu, me pediu enlouquecida:

– Me fode! Me Fode!

Eu:

– Vou te comer agora, mas antes babe aqui meu pau, coloque aí na sua boca e dê uma boa mamada!

Ligeiro ela se agachou mamando bem rápido, afinal ela queria sentir a pressão!

Subi essa safada pelos cabelos joguei em cima do banco e abri as pernas dela, do jeito que ela estava excitada o pau entrou gostoso, era ele entrando e ela gritando, gemendo, afinal não era qualquer pau, era um grosso e grande, eu apertava os bicos do peito dela e enfiava, olhava ela de cima a baixo, era uma mulher linda, desejável, gostosa, e estava ali me dando o cu…qualquer homem queria estar no meu lugar!

A virgem safada fez um pedido:

– Me come de quatro agora, quero me sentir dominada, sendo comida por trás, e pode botar pressão, maceta aí, quanto mais rápido, mais orgasmos…e mais gostoso!

Eu não sei quem tava se dando melhor ali, pois ela estava curtindo, acho que tinha um tempinho que algo assim não acontecia com ela, e eu não deixei por menos, fiz barba, cabelo e bigode!

Ela se levantou, se curvou, abriu as pernas e eu fui fundo…

Perguntei a ela:

– Tá gostoso assim?!

Pois estava socando fundo, e rápido, como ela pediu.

Ela falou:

– Vai com tudo, pega na minha buceta, massageia meu clitóris molhadinhos!

Quando trisquei no clitóris dela, o gemido de gozada foi longo, a bicha estava gozando na minha mão e na minha rola!

A minha também veio, gozamos juntos, acho que demoramos o mesmo tempo sentindo prazer, eu dominando-a por trás, isso a deixava muito excitada, em mim também, pois tinha uma visão privilegiada!

Terminamos a foda, vestimos as roupas, e nossas pernas tremiam mais que tudo, estávamos nas nuvens, não sei, mas aquela putaria ali foi diferente, eu só pensava na próxima vez, troquei telefone com ela, fomos até a festa e nos despedimos, um beijo com bastante pegada!

Ela foi embora com a turma dela e eu, já avistei uma mulher bem gostosa, olhei pra ela correspondeu, não ia fazer desfeita, fui terminar a noite comendo uma bucetinha, depois de ter comido um cuzinho de uma virgem pra lá de safada, o cara que casar com ela vai passar bem, pois vai ter uma amante de sexo anal experiente, se duvidar ela vai comer até o dele!

  • conto 1 ano atrás
  • Categorias: Virgens

Contos de Sexo Relacionados

  • Virgens 3 anos atrás

    Vontade de dar a bucetinha

    Olá. Adoro contos e vídeos eróticos, por isso resolvi falar de como foi minha primeira vez. Na época tinha 18 anos e todas as vezes que eu ia namorar sentia minha xoxota arder de tesão. Tinha uma vontade louca de...

    LER CONTO
  • Virgens 2 anos atrás

    Virgem aprendendo o que é sexo

    Olá.... adoro contos eróticos e vídeos. Sou virgem mais sempre me interessei pelo assunto, talvez tentando me preparar para quando chegar minha vez. Tenho 18 anos, um corpo muito bonito e atraente. No último...

    LER CONTO
  • Novinhas 2 anos atrás

    Meu Primeiro Boquete

    Olá, hoje vou contar como foi o meu primeiro boquete, espero que se delicie e me imagine mamando o seu pau. Meu primeiro boquete foi aos 18 anos, naquela época, eu era uma aspirante a putinha, uma verdadeira...

    LER CONTO
  • Virgens 2 anos atrás

    Foi espetacular a minha primeira vez

    Na época eu tinha 18 anos, já tinha o corpo bem formado, toda durinha e com um bumbum bem avantajado. Quem me fez mulher foi o meu primeiro namorado. Ele na época tinha 18 anos, porte atlético, alto e muito bonito. ...

    LER CONTO

1 comentários para “A virgem perdeu o cabaço do cuzinho

  1. Dotado Safado • 19 de dezembro de 2022

    Muito bom, escrevi vários contos no passado. Agora me falta tempo.

    Mas confesso que sempre adorei ver aflorar o tesão de uma mulher fogosa, seja ela comprometida ou não, Evangélica, religiosa ou não.
    Por causa de cultura ou criação isso fica sempre inrrustido, mas quando elas se libertam é algo magnífico, pois o tesão pelo proibido e por libertar isso é muito bom.

    Se se enquadra nessa descrição ou tem um pingo de curiosidade, fique a vontade para mandar um email.

Deixe seu comentário