Casa dos Contos Eróticos » Incesto » Como eu comi minha avó

Como eu comi minha avó

1 vote

Hoje já sou coroa, mas os anos não me fazem esquecer como eu transei com minha avó.

Eu era jovem, 19 anos, minha avó, devia ter uns 60 anos, era uma coroa vistosa, pernas bonitas e seios ainda duros. Ela era viúva desde os 31 anos de idade. Morava ela, minha tia mais nova 30 anos, e sua irmã  com 63 anos, minha tia avó, uma coroa miúda e muito interessante. Vamos aos fatos.

Eu fazia estágio em uma empresa. Minha vó morava perto, duas vezes por semana eu dormia em sua casa por causa do horário que terminavam minhas aulas e não conseguia pegar o ultimo trem. Às vezes antes de ir para faculdade, quando havia folga no horário de primeira aula, eu dava uma rápida passagem para um lanche rápido.

Comendo a vó

Tudo ia bem até que um dia ao ir para meu quarto percebi que minha tia estava tomando banho, e eu olhei através da fechadura do banheiro aquela coisa deliciosa nua, minha vó me surpreendeu e apenas falou “o que é isso garoto”. Eu acabrunhado nada respondi e fui para o quarto.

Passados algumas semanas, minha tia avó viajou, e minha tia havia saído com namorado, eu sai mais cedo da aula e ao chegar minha vó estava sozinha. Como sempre se apressou em colocar meu lanche, eu fui tomar um banho antes e desci de pijama, alias como era comum fazer. Ela sentou-se ao meu lado à mesa e passamos a conversar quando ela tocou no assunto de eu ter olhado o banho da minha tia. Eu disse que esperava uma oportunidade para pedir-lhe desculpas e que isso não iria mais acontecer, e agradeci não ter contado para meus pais (extremamente conservadores).

Para minha surpresa ela disse que desconfiava que eu também a tivesse olhado, eu refutei de imediato e ela fazendo biquinho me disse “talvez eu não seja mais atraente”. Eu lhe disse que ela era um mulher atraente e se ela se sentisse bem poderia olha-la naquele momento. A essa altura meu pênis ficou ereto, e eu a deixei perceber.

Delicadamente ela pousou sua mão sobre meu membro e eu passei a mão em suas coxas e alisei seu sexo. Ela entrou em transe e colocando sua boca me sugou com volupia (depois ela me disse que fazia muitos anos sem sexo). A beijei, chupei seus seios ainda duros, e fomos para cama onde lambi seu clitóris, e fizemos todo tipo de sexo, (oral, anal, normal).

Não me lembro de uma mulher ter gozado tanto, para mim também foi uma boa foda. Depois disso de vez em quando a gente programava para dar uma transada. As vezes temos em nossas avós um mulher carente aguardando apenas um neto ousado.

  • conto 6 meses atrás
  • Categorias: Incesto

Contos de Sexo Relacionados

  • Sexo 1 ano atrás

    Papai me comeu

    Papai me comeu...Hoje vou contar o dia que fui comida pelo meu papai. Sempre fui muito safada, comecei assistir porno desde novinha quando vinha passar as férias na cidade na casa da minha mãe e o meu padastro. Mas...

    LER CONTO
  • Incesto 7 meses atrás

    Transando com a tia

    Esse fato que vou contar para vocês aconteceu já faz alguns meses e só agora decidi escrever aqui no site. Espero que gostem, se divirtam e gozem bastante com a história. Ela, uma mulher madura, resolvida...

    LER CONTO
  • Incesto 2 semanas atrás

    Dei pra meu primo no sítio

    Estou namorando há 3 anos  e sempre tiramos férias juntos para poder curtir bastante. Esse ano não deu e resolvi ir sozinha. Tenho um tio que mora em um sitio no interior do estado, era uma ótima opção. Liguei...

    LER CONTO
  • Incesto 2 meses atrás

    Os pés da minha irmã me dão tesão

    Desde que a minha irmã soube do meu fetiche por pés que permitiu que eu fotografasse os pés dela, os lambesse e chupasse. Francamente não posso dizer que fossem os pés com o formato que mais me excitava,...

    LER CONTO
  • Incesto 11 meses atrás

    Consegui comer minha irmã mais nova

    Olá me chamo Pedro (*) tenho 29 anos, 1,75, 80kg bem distribuídos e não vou dar muitos detalhes pq quero ficar no anonimato... Minha irmã a Flávia(*) tem 20 aninhos, magrinha e pequena mas ela é a uma perfeição...

    LER CONTO

Deixe seu comentário