Casa dos Contos Eróticos » Novinhas » Meu Primeiro Boquete

Meu Primeiro Boquete

Olá, hoje vou contar como foi o meu primeiro boquete, espero que se delicie e me imagine mamando o seu pau.

Meu primeiro boquete foi aos 18 anos, naquela época, eu era uma aspirante a putinha, uma verdadeira ninfeta, branquinha, ruiva natural, cintura marcada, bunda redondinha e uns belos pares de seios médios.

Todos os caras do condomínio queriam tirar minha virgindade, mas eu só tinha olhos para o uma rapaz. Ele morava no meu prédio, ele era branco, alto, corpo atlético, tinha 21 anos e estudava medicina, um verdadeiro sonho.

Em uma tarde de domingo, estava dançando funk no play do prédio com as minhas amigas, eu vestia um top tomara que caia branco e um shortinho que mostrava a polpa da minha bunda. Ele também estava no play, supostamente lendo um livro, mas a verdade é que ele não tirava os olhos da minha bunda e todas as minhas amigas tinham percebido isso.

Tomei coragem, o chamei com a mão e sai andando em direção a escada de emergência, não olhei para trás, caminhei contanto com a sorte.

Cheguei na escada e nada dele, fiquei sentada por alguns minutos enquanto olhava o celular até que uma das portas de incêndio se abriu, e logo em seguida a outra porta se abriu e era ele.

Assim que ele entrou já foi perguntando:

– O que a putinha quer?

Respondi:

– Você!

E a conversa continuou:

– Já deu a boceta?

– Ainda não, ela está guardada para você.

– Já chupou um pau?

– Não.

Primeiro boquete da novinha puta

Foi então que ele colocou o pau para fora (aquele caralho de 22cm, grosso e cheio de veias), sem nenhuma delicadeza puxou a minha cabeça em direção ao seu pau enorme. Claro, sem nenhuma cerimônia fui colocando na minha boca enquanto ele falava:

– Isso sua puta, chupa meu caralho. Enfia tudo na boca, lambe, vai, chupa com vontade. Tu não queria pau, agora tu vai chupar até eu gozar.

Até que ele tirou o pau da minha boca e mandou eu levantar e tirar a roupa. Prontamente eu o obedeci, ele ficou hipnotizado olhando o meu corpo, se aproximou de mim e começou chupar meus peitos, enquanto esfregava a mão na minha buceta. Aquilo foi tão prazeroso que comecei a gemer, enquanto gemia, ele falava no meu ouvido que eu era uma puta, e que iria fazer tudo que ele mandasse porque se eu não fizesse iria contar para o condomínio que sou uma piranhazinha.

Aquilo me deixou mais excitada e com medo, até que gozei e logo ele me disse “é uma verdadeira puta, vou ganhar muito dinheiro com você”.

Então voltei a chupar aquele caralho enorme, lambia, chupava, sugava colocava tudo que podia na minha boca e finalmente ele gozou, sem delongas engoli toda a porra dele olhando pra ele com uma cara de safada.

Ele pegou o meu celular salvou o seu número e disse:

– Toda vez que eu te ligar você vai ter que dá o seu jeito de vir até mim.

E assim eu fiz, toda vez que ele ligava eu ia mamar aquele pau delicioso.

Contos de Sexo Relacionados

  • Novinha fez um boquete perfeito

    Pois bem, sou liberal e curto de tudo um pouco mas com segurança (sempre) e me cuidando. Numa certa tarde estava eu numa área comum do condomínio quando a parece pra conversar comigo uma vizinha de baixo. Era a Raquel(*), novinha, bundão, seios pequenos, usava calça jeans...

  • Transei com o pai gostoso da minha melhor amiga

    Sempre que ia na casa da minha amiga ficava impressionada com a beleza do pai dela, um coroa arrumado, fitness, simpático, com um rosto lindo, eu ficava babando, mas ele não me olhava com olhos de um homem para uma mulher, olhava para mim apenas como amiga da filha dele. Um...

  • Chupando rola pela primeira vez

    Estava conversando com um rapaz fazia tempo, só que nunca tinha o visto, nós nos falamos por mensagem e ligação, eu estava caidinha por ele, mal conseguia ficar com outros rapazes, porque assim, claro que nesse tempo que eu conversava com ele, ficava com outras pessoas,...

  • Coroa amigo da minha mãe me fudeu gostoso

    Me chamo Polianna(*), tenho 19 anos, sou baixinha, negra de lindos cabelos crespos estilo black. Sou estilo gordinha gostosa, com bunda, pernas grossas e sem barriga. Meu conto é real. Foi a minha primeira vez com um homem bem mais velho. Antes disso só tinha perdido a...

  • Meu professor me fez uma verdadeira putinha

    Olá! Sou morena, tatuada e cacheada de 1,50 cm de altura, com quadril e coxas maravilhosas além de uma deliciosa bunda grande. Curso o segundo período de matemática. Em minha faculdade um professor substituto esta lecionando geometria analítica. Ele é um homem alto,...

  • Meu Primeiro anal

    Um certo dia troquei de operadora de tv a cabo, veio até minha casa um moço para realizar a instalação. Eu tinha acabado de sai do banho e ele chegou. Muito simpático, se chamava Eduardo(*), educado, me comia com os olhos. Eu estava de vestido fiquei toda molhadinha do...

  • Não resistir e cai na tentação

    Oi, tenho 18 anos, sou morena, baixinha, magrinha, tenho 1,65 e peso 53kg, apesar de magrinha tenho um peito muito farto, e uma bundinha bem gostosa, já minha buceta não acompanhou o corpo e acho bem grande, um bucetao como eles dizem. Essa onda que vou contar rolou no fim...

  • Me vingando da esposa comendo a sobrinha dela

    Minha esposa, estava me deixando na seca por me pegar traindo ela com uma amiga do serviço, já havia dois meses que ela não transas mais comigo...e ela tem uma sobrinha maravilhosa que por sinal é muito safada tbm. E como ela não estava liberando pra mim...comecei a procurar...

  • Eu sempre transei com vários homens, me sentia insaciável sexualmente, pois transava com um após o outro e sentia que sempre faltava alguma coisa, não durante o sexo, por que todos eles eram muito bons, porem, ainda faltava algo. Ate que em um dia, recentemente, sai com...

  • Ménage com a prima da namorada

    Era verão, o calor estava reinando, muita praia, piscina e pessoas para conhecer... Mas eu tinha namorada, uma baixinha muito gata, gente boa, que eu não queria decepcionar, então não tinha essa de conhecer mulheres. Eu saia, ia na praia, surfava, batia um papo com os...

Deixe seu comentário