Casa dos Contos Eróticos » Fetiche » Acompanhante de luxo: Me prostituindo por prazer

Acompanhante de luxo: Me prostituindo por prazer

1 vote

Sempre tive a curiosidade de estar ao menos um dia no cenário da prostituição. Ver homens me pagando para oferecer prazer e fazê-los gozar me deixa excitada. Na verdade o cenário da pornografia ao meu ver é algo além de lucrativo pois também valoriza o ego. Uma coisa é você sair com alguém em busca de sexo e outra coisa é você querer pagar alguém para oferecer sexo para você. Um misto de dominação e comércio, acho isso bem interessante.
Nunca precisei cogitar a possibilidade de pagar por alguém, sempre tive qualquer homem ao meu dispor. Sou de uma família rica, frequentei os melhores colégios, meu ciclo social é composto de empresários, políticos e membros da elite das famílias tradicionais. Hoje com os meus 45 anos posso me considerar muito bem vivida no cenário pessoal, sexual e também em minha lista de contatos. Para mim que sempre tive tudo com muita facilidade, ter algo tão inusitado gera desafio em minha vida, me trás adrenalina e me tira do tempo ocioso ao qual vivo boa parte do meu tempo.

Garota de programa

Em minha cidade existe na parte comercial de bares noturnos, várias meninas que ficam fazendo ponto de forma discreta nestes espaços. Elas são maravilhosas, estão sempre impecáveis e bem vestidas. Resolvi ir até um deles para bater um papo com algumas delas para que eu possa realizar esse fetiche de ser garota de programa por um dia.
Mesmo que eu não fosse mais tão jovem, possuo um porte invejável, me alimento de forma saudável, sou corredora e tenho vários procedimentos estéticos. Sou um baita mulherão. Dediquei toda minha vida aos estudos, morei fora do país, sempre trabalhei muito, abri mão de construir uma família em nome da minha carreira. Sou uma mulher realizada mas me sinto frustrada por ter vivido apenas questões técnicas na vida, sem me aventurar como qualquer adolescente inconsequente faria no auge da sua juventude. Me falta esse ar rebelde e libertador.
Sentei na mesa que ficava ao lado dos músicos, observei a movimentação do bar, o fluxo de quem possivelmente pudesse estar ali buscando por sexo ou não, até que uma moça maravilhosa entrou e se sentou na mesa que ficava ao lado da minha. Ela estava sozinha, provavelmente estava esperando por alguém e eu torcia para que ela fosse uma acompanhante de luxo e eu pudesse tirar as minhas dúvidas, podendo talvez me aventurar neste caminho.

Acompanhante de luxo: O preço do sexo

Levantei da mesa de onde eu estava e perguntei a moça se poderia sentar com ela, avisei que seria breve para não atrapalhar o seu “encontro”. Ela se identificou como Marcela, na verdade ela era uma mulher trans e acompanhante de luxo, me contou sua rotina, como foi sua transição e todos os desafios da profissão. Ela era belíssima, alta, negra, dos cabelos mais lindos que já vi, um Black Power dourado que a deixava parecendo uma atriz de Hollywood. Seus olhos eram cor de mel, suas unhas em tom perolado davam um ar luxuoso ao traje de seda fina que embelezava seu corpo, seus lábios pareciam uma fotografia de alguma clínica de estética, eu nunca havia me deparado com uma beleza como a dela.
Marcela me contou que não quis retirar o membro masculino pois eles eram um atrativo no meio da prostituição, que muitos homens optavam por encontros com ela justamente por ela ser uma mulher trans. Eu estava me sentindo atraída por aquela mulher, que na ocasião estava ali por diversão, não era seu horário comercial. Passei a noite toda batendo papo e bebendo com ela enquanto ela me explicava detalhe por detalhe como aconteciam os programas. Passei o meu número para ela e me coloquei à disposição para o serviço sexual. Eu sabia que dali em diante minha vida mudaria por completo. Não conseguia imaginar qual seria o valor do meu programa, apesar dos valores que ela já havia me dito serem possíveis eu não sabia o que escolher, mas taxar o preço é que seria o diferencial para sustentar a minha fantasia. Tudo precisaria acontecer de uma forma discreta, minha família jamais poderia ter alguma noção de algo parecido envolvendo o meu nome. Combinamos tudo de uma forma muito sigilosa, confiei a Marcela o meu contato de whatsapp para que ela pudesse me indicar para um possível cliente.
No outro dia eu resolvi visitar o shopping para comprar vários modelos novos de lingerie, segundo a minha nova amiga, isso faria diferença no meu cartão postal, estar vestindo uma bela lingerie iria destacar o meu potencial feminino. Comprei várias cores e já estava em frente ao espelho me preparando para essa nova experiência. Eu estava ardendo de curiosidade, já havia me masturbado por vários dias no xnxxxvideos ,  pensando nesse novo desafio, eu vivia excitada em busca da realização desse fetiche.

Sendo puta pela primeira vez: Meu primeiro programa

Uma semana após o meu encontro com Marcela, recebi uma mensagem de um homem a respeito da minha disponibilidade para um encontro. Seria esse o meu primeiro programa. Eu estava com medo do risco e animada com o novo desafio. Só de imaginar aquela cena toda acontecendo eu chegava a melar a minha calcinha. Isso de fato era algo que eu já queria há um tempo. Ter 45 anos ainda deixava o desafio ainda mais gostoso, afinal geralmente os homens gostam de meninas mais jovens e não de uma coroa na mesma idade que eu.
Conversei durante uma hora com o cliente, combinamos o dia, local e horário. Eu estava tremendo só de imaginar como seria a minha primeira vez, realmente o sentimento que passava pela minha mente é como se eu fosse perder a minha virgindade naquele encontro. Ele era um empresário que estava de passagem na cidade e queria uma Cia para um jantar de negócios.
Na banheira da minha suíte preparei o banho mais caprichado de todos os tempos, joguei pétalas de rosas, tomei meu espumante preferido, peguei meu vibrador e me masturbei para entrar no clima e me sentir mais solta, eu estava queimando de prazer.
Me aprontei de forma provocante, vesti um vestidinho longo preto, prendi o meu cabelo deixando um fio solto de cada lado, passei um batom em tom de vinho e coloquei algumas joias delicadas, eu estava deslumbrante.
Chegando ao local combinado fui recepcionada da melhor forma, minhas mãos estavam suando frio, minhas pernas tremiam e a insegurança era minha única certeza naquele momento.
Encontrei com o cliente, ele era um homem muito rico, em torno dos seus 60 anos, mas sua beleza era sem igual.
Saímos e fomos para o hotel que ele estava hospedado. Suas mãos firmes foram logo arrancando a minha roupa, sua pegada avassaladora foi me dominando pouco a pouco. A posição que eu mais gosto é de 4, ele me invadia com muita força, cuspia na minha buceta e metia gostoso. Ninguém diria que aquele homem tinha 60 anos, seu pau perfeito comeu meu cu como nenhum outro novinho havia comida antes. Ele me pediu para fazer oral, dei aquela mamada babada com muito capricho. Ele montou em cima de mim e esfregou sua glande no meu clitóris até eu gozar.
Marcela havia me dito que tesão não é sentido em todos os programas, mas que alguns homens nos fazem ficar com as pernas bambas. Este homem era um exemplar deste. Ele gozou depois de uma hora transando, jogou seu leite todo pelos meus peitos. No outro dia logo pela manhã ele pediu ao seu motorista para me deixar no meu apartamento. Liguei para a garota de programa que havia me indicado o cliente, pedi a ela quem me enviasse o próximo, eu adorei essa adrenalina.

Contos de Sexo Relacionados

  • Fetiche 2 anos atrás

    Fetiche em Travestis

    Me chamo Gusttavo, tenho 19 anos e desde os 18 tenho fetiche em travestis , hoje eu vou contar a minha 2° experiência com uma travesti, a primeira como passivo... Saí pra comer e fui comido Foi assim, eu...

    LER CONTO
  • Fetiche 10 meses atrás

    Tesão na praia com a esposa gostosa

    Olá, o que vou relatar, aconteceu de verdade. Tínhamos 54 anos ambos, somos natural da mesma cidade, mas moramos em outro estado. Somos casados a mais de 30 anos, e como todos os casados sabem, não tem como não cair...

    LER CONTO
  • Fetiche 2 anos atrás

    Usando calcinha pela primeira vez

    Vou contar do dia que por acontecimentos sucessivos fui para o trabalho usando uma calcinha. Foi um dia incrível, tenso e ao mesmo tempo excitante. Como de costume acordei cedo e fazia o café antes da esposa...

    LER CONTO
  • Fetiche 1 ano atrás

    Primeiro fisting anal

    Olá pessoal.... desde nova sempre fui bem assanhada. Gostava de ver vídeos pornôs e tinha fetiches em coisas bem diferentes. Sou baixa, morena, tenho peitos pequenos e uma bunda grande. Bom, hoje vou contar uma...

    LER CONTO
  • Xvideos 1 ano atrás

    Minha mulher e um plug anal

    Eu tenho 45 anos e minha mulher 43. Estamos juntos há quase 17 anos. Vivemos bem e nos amamos muito, mas na correria da vida com trabalho e duas crianças acaba que temos menos tempo para o sexo do que gostaríamos. Eu...

    LER CONTO
  • Fetiche 2 anos atrás

    Minha esposa com o lavador de carros

    Olá, meu primeiro conto aqui no site, vou começar com este que me dá tesão sempre. Minha esposa tem 1,60, cabelos pretos lisos, peitos grandes em pé, coxas grossas, uma bunda grande, um tesão, vou colocar o nome...

    LER CONTO
  • Incesto 1 ano atrás

    Os pés da minha irmã me dão tesão

    Desde que a minha irmã soube do meu fetiche por pés que permitiu que eu fotografasse os pés dela, os lambesse e chupasse. Francamente não posso dizer que fossem os pés com o formato que mais me excitava,...

    LER CONTO
  • Corno 3 meses atrás

    Realizei o fetiche de ser corno

    me chamo yago tenho 23 anos e minha esposa 23 também, uma branquinha de um rabão lindo e gostoso. eu sempre tive o fetiche de imaginar ela fudendo comigo e com outro ao mesmo tempo, mas nunca tive coragem de propor...

    LER CONTO
  • Fetiche 1 ano atrás

    Provocado pelo pés da cunhada

    Há muito que uma das minhas cunhadas (irmã da minha mulher) sabe do meu enormíssimo tesão pelos pés dela. Esguios, magros, pequenos (calça o 35 como a irmã), branquinhos como todo o seu corpo. Ela é uma bela...

    LER CONTO

Deixe seu comentário